sexta-feira, 20 de maio de 2022

Por aclamação pelo Consuni da UFRJ, a historiadora Anita Prestes será agraciada com a Medalha Minerva do Mérito Acadêmico

Na sessão ordinária do Consuni da UFRJ do último dia 12/05/2022, com transmissão pelo canal da UFRJ no YouTube, foi votada por aclamação o nome da historiadora Anita Prestes para receber a Medalha Minerva do Mérito Acadêmico (no vídeo do YouTube, a votação da indicação do nome da Anita está no trecho entre 1h 06min e 1h e 33 min).

Segundo a Resolução 13/2011 do Consuni, que institui a Medalha Minerva do Mérito Acadêmico, a mesma foi criada "para ser concedida aos professores da UFRJ e de outras instituições, que tenham se destacado por seu desempenho e pela relevância acadêmica do seu trabalho de ensino, pesquisa e extensão". Os motivos da concessão da Medalha Minerva se basearam na trajetória acadêmica, coberta de mérito da professora Anita Prestes, bem como na sua própria história de vida, que se entrecruza, em muitos pontos, com os acontecimentos históricos internacionais e os nacionais de alguns países, como Brasil, México e União Soviética.. Anita Prestes é uma historiadora de relevância nacional e internacional, dedicada à formação de novas gerações de historiadores na UFRJ, onde prossegue atuando como Professora Colaboradora Voluntária no Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC), mantendo uma produção bibliográfica constante e de referência para a historiografia nacional.

Nascida em 27 de novembro de 1936 na prisão de mulheres da rua Barminstrasse, em Berlim, na Alemanha Nazista, Anita é filha dos militantes comunistas Olga Benario Prestes (1908-1942) e Luiz Carlos Prestes (1898-1990), sua trajetória intelectual e sua história pessoal são indissociáveis, o que dão sentido as suas escolhas acadêmicas e aos seus posicionamentos sócio-políticos. Assim, o título do seu livro de memórias "Viver é tomar partido", frase do poeta e dramaturgo alemão Christian Friedrich Hebbel retomada pelo intelectual italiano Antonio Gramsci, resume o modo peculiar como Anita Prestes encara sua vida, totalmente imbricada em seu ativismo político.




MEDALHA DO MÉRITO

Por Silvana Sá

Fonte AdUFRJ

A professora Anita Leocádia Prestes, aposentada do Instituto de História da UFRJ, será agraciada com a Medalha Minerva do Mérito Acadêmico. A indicação do IH foi aprovada por aclamação pelo Consuni. A honraria é concedida a docentes que se destacam por sua produção acadêmica e relevância social. É dada a professores que não são titulares e, por isso, não podem se tornar eméritos da universidade. Anita se aposentou como associada.


Filha de Luís Carlos Prestes e Olga Benário Prestes, sua vida se confunde com sua trajetória política e acadêmica. “É muito importante que a UFRJ homenageie hoje uma cientista, uma mulher, uma historiadora, uma comunista”, afirmou o professor Fábio Lessa, titular do Instituto de História.


A reitora, professora Denise Pires de Carvalho, se emocionou. “A honra é toda minha. Imagino que será uma cerimônia presencial muito bonita, uma festa da democracia, uma festa da justiça social”, declarou. “Vamos conseguir construir um futuro melhor para todos nós sem perdermos as referências do passado”.


#########

Conheça o livro Viver é tomar partido: memórias (Boitempo, 2019), em que Anita Prestes narra sua extraordinária trajetória de vida, militância e pensamento.



quinta-feira, 12 de maio de 2022

Astrojildo Pereira e Luiz Carlos Prestes: admiração e respeito mútuos

Na ocasião da reedição da obra de Astrojildo Pereira pela Boitempo no ano do centenário do PCB, a historiadora Anita Prestes publica texto no Blog da Boitempo, em que revela aspectos até hoje pouco conhecidos da relação entre Luiz Carlos Prestes e o fundador do PCB e que, segundo Anita, são "relações por vezes ignoradas, subestimadas ou deturpadas por diversos intérpretes da história do movimento operário e dos comunistas brasileiros".     


LINK PARA LER O TEXTO NA ÍNTEGRA:

https://blogdaboitempo.com.br/2022/05/11/astrojildo-pereira-e-luiz-carlos-prestes-admiracao-e-respeito-mutuos/      



             

Sobre a nova edição de toda a obra de Astrojildo Pereira, clique no link abaixo:

https://www.boitempoeditorial.com.br/produto/caixa-astrojildo-pereira-1201




terça-feira, 3 de maio de 2022

Para download gratuito: KOLLONTAI 150

Em homenagem ao aniversário de 150 anos do nascimento da militante soviética e intelectual Alexandra Kollontai a 31 de Março de 1872, a Associação Internacional das Editoras de Esquerda lança o livro Kollontai 150 um esforço de 25 editoras em mais de 20 línguas diferentes.

[LIVRO VIRTUAL] KOLLONTAI 150

por Alexandra Kollontai, Ândrea Francine Batista, Atiliana da Silva Vicente Brunetto, Julia Cámara

Associação Internacional das Editoras de Esquerda

LINK PARA BAIXAR GRATUITAMENTE:https://expressaopopular.com.br/livraria/kollontai-150/

[É só clicar como se fosse uma compra, como o preço está zerado, e você receberá por e-mail o PDF do livro]

Sinopse

Uma das principais preocupações de Alexandra Kollontai era o feminismo e o papel das mulheres na luta de classes e no processo revolucionário. Ela também debateu a organização dos trabalhadores como um todo, como podemos ver nos seus textos sobre a oposição operária, e contribuiu grandemente para pensar e debater o amor para além da sua forma social burguesa.

Kollontai 150, o quinto livro conjunto publicado pela Associação Internacional das Editoras de Esquerda, reúne quatro dos textos de Kollontai sobre temas como o papel das mulheres nas lutas sociais, a história e a importância do Dia Internacional da Mulher (8 de Março), e reflexões sobre o amor como relação social. Estes textos são introduzidos por dois ensaios sobre a vida e obra de Kollontai, um escrito por Ândrea Francine Batista e Atiliana da Silva Vicente Brunetto do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) do Brasil e o outro pela historiadora, feminista e activista espanhola Julia Cámara.

quarta-feira, 27 de abril de 2022

Seminário "100 anos: PCB, tenentismo e modernismo"

Segunda dia do seminário "100 anos: PCB, tenentismo e modernismo" com os professores convidados: Prof. Dr. Carlos Zacarias Sena Jr (UFBA), Prof. Dr. Mauro Iasi (UFRJ) e Profª Drª Anita Prestes (UFRJ) para discutir o tema "100 anos do PCB".





sexta-feira, 22 de abril de 2022

V. I. Lênin (22/4/1870 – 21/1/1924), a luta pelo poder revolucionário e as “esquerdas” no Brasil de hoje

Artigo de Anita Prestes no blog da Ed. Boitempo

"O proletariado tem como única arma na luta pelo poder, a organização"

Vladímir Ilitch Lênin (22/4/1870 – 21/1/1924)

No 152° ano de nascimento de Vladímir Ilitch Lênin, o grande artífice da Revolução de Outubro de 1917 na Rússia, a historiadora Anita Prestes analisa, em artigo no blog da Boitempo, as ideias mestras das transformações revolucionárias elaboradas por Lênin, destacando como estes ainda são ensinamentos valiosos para as forças de “esquerda” no Brasil de hoje.

CLIQUE NO LINK PARA LER O TEXTO DE ANITA PRESTES NO BLOG DA BOITEMPO:

https://blogdaboitempo.com.br/2022/04/22/v-i-lenin-22-4-1870-21-1-1924-a-luta-pelo-poder-revolucionario-e-as-esquerdas-no-brasil-de-hoje/

TRECHOS DO REFERIDO TEXTO

Na atualidade, observamos que os principais partidos das ditas “esquerdas” estão voltados quase exclusivamente para os processos eleitorais em curso no país, sem revelarem preocupação efetiva com a formação do “bloco histórico” destinado a conduzir a luta pela transformação revolucionária do Brasil. Predomina nesses partidos e em diversos movimentos populares e sociais a espontaneidade, o culto à “luta de classes” sem uma direção voltada para a revolução, a defesa de uma suposta autonomia das massas e a subestimação de qualquer esforço dirigido à construção de um partido efetivamente revolucionário. Predomina o reformismo burguês, despido de um empenho efetivo em subordinar a luta pelas reformas aos objetivos da transformação revolucionária da sociedade.

As concepções reformistas apontadas alimentam a ilusão na eleição presidencial de Lula como solução para os problemas atuais do país, sem perceber que, mesmo vitorioso, mas sem o apoio de organização popular, Lula será forçado a submeter-se aos ditames do grande capital. Lideranças das ditas “esquerdas” conclamam o povo a sair à rua para protestar contra o governo e apoiar os candidatos dessas forças, esquecendo que, em determinadas circunstâncias, as massas desorganizadas podem sair às ruas e protestar, mas voltarão para casa desorganizadas como estavam. Sem um trabalho prévio de organização popular nos locais de trabalho, de moradia, de convivência, não se terá contribuído para o avanço efetivo das forças capazes de dar sustentação a um governo progressista e, muito menos, a uma saída revolucionária para a situação atual do país.

Junto ao referido predomínio das correntes reformistas no meio das ditas “esquerdas”, encontramos os partidários da fraseologia pseudo-revolucionária, capazes de impressionar os incautos e os jovens adeptos com discursos eloquentes e aparentemente radicais, desligados, entretanto, de uma prática efetiva de organização, mobilização e conscientização popular. Tais supostas lideranças costumam proclamar insistentemente objetivos finais (estratégicos) nos seus programas, eivados de generalidades e carentes de propostas táticas viáveis na realidade concreta existente, assim como desligados dos objetivos estratégicos apresentados.